Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Reflexão sobre o Bem e o Mal

 

O mal só é mal para quem o carrega dentro de si. Todos nós nascemos das Trevas (alguém ai já viu uma lâmpada dentro do útero?). No entanto você pode e deve crescer muito durante as adversidades, elas servem de trampolim e são ótimos exercícios para a raiva, o medo, o ódio e para o aprendizado do autocontrole.
O dia a dia é feito de alegrias, vitórias, mas também é feito de mágoas, dores, espinhos e depende de cada um de nós como vamos carregar os fardos que aparecem em nossas costas.
Uma das pessoas que passou pela minha vida me ensinou que uma das maiores defesas que carregamos é o “amor”. Estávamos em uma aula tipo “A Arte da Defesa das Trevas” e o pessoal ao redor sedento por feitiços de defesa e ataque. Então, esse professor nos disse que um dos maiores, se não o maior contra feitiço que existe é o amor. Tudo o que tinha amor, tinha uma eficácia muito grande. Naquele instante, uma certa cortina se abriu diante dos meus olhos e na minha mente, e eu pude ver várias cenas da minha vida passada e vislumbrar alguns acontecimentos que viriam no futuro. Confesso que não fiquei a principio feliz com o que estava vendo, mas sabia que era essencial diante do que gostaria e queria para a minha vida. O desafio seria por em prática o que aprendi e anotei durante anos. Entre desistir e ir em frente, decidi seguir adiante. Quando estamos diante de um desafio, continuar ou parar é uma questão de sobrevivência.
Aprendi muito com mo meu próprio ódio e com o ódio de um parceiro de jornada. Digo parceiro porque há duas coisas que criam laços profundos nas pessoas: o Amor e Ódio, por isso eles andam de mãos dadas, você só odeia quem um dia amou ou vice versa. Eles estão ali, lado a lado, mão com mão nos ensinando que a estrada é estreita mesmo e não adianta reclamar.
O difícil na maioria das vezes é buscar o equilibro entre turbilhões de emoções. Respeitar, amar, vibrar e admirar alguém profundamente é muito legal. No entanto, continuar a admirar depois de uma grande tempestade é complicado e exige uma análise fria dos fatos, felizmente aprendi que todo aquele que lhe transmite conhecimento merece respeito, carinho, gratidão, porque cada um faz o que quer com o conhecimento que adquire. Um professor pode ser excelente em sala de aula e péssimo exemplo como pessoa. O contrário também ocorre.  Para mim, o importante é o melhor que uma pessoa tem a me transmitir, o pior o ser  que resolva com o Universo.
 Quando somos crianças, falamos o que queremos e na maioria das vezes as pessoas somente associam isso a uma sinceridade de “criança”, porque ela não mente ou na pior das hipóteses essa criança pode ter uma personalidade autêntica. Quando você cresce e fala o que pensa e sente, sem muitas vezes processar a coisa com quem fala, cria sérios problemas.
Tive algumas pessoas que no fim da história descobri que eram tão mal amadas, que qualquer pessoa que realmente ama ao redor delas é o símbolo do fracasso que elas carregam em suas em suas almas pequenas e mesquinhas. Certa vez tive uma pessoa “amiga”, que dormia no mesmo ambiente que eu, freqüentava rituais, aulas, festas, e em muitas vezes, desabafos de ambas as partes. No entanto, como diz aquela musica do Legião Urbana , Andrea Dória “quero ter alguém com quem conversar, alguém que depois não use o que eu disse, contra mim” , ter alguém com quem conversar é complicado. Muitas e muitas vezes o que falamos é guardado para um momento onde as pessoas consideram oportunos para lhe derrubar ou supostamente lhe fazer mal. Digo supostamente, porque já que tudo no Universo encerra o bem, o mal é somente um caminho do amor através da dor e nada mais.
Você falar é algo, mas ver o que você disse aumentado, multiplicado e com vários pontos a mais e tudo porque não se quer perder a posse é “foda’ como diria meu amigo André, fiel em suas sabedorias e reflexões. Na época foi engraçado como diante de um verdadeiro furacão eu me mantive com mente fria, observando e absorvendo cada palavra dita, cada instante vivido. Havia feito um pedido aos Arcanjos e ele me mostrou ate mais do que eu pedi, junto com um amigo do Mar, amado e muito querido que me dizia o tempo todo, “Um marujo fiel nunca é desamparado”Confiei cegamente naquelas instruções e sobrevivi a uma fúria insana de ódio, falação e disse que me disse infinito.
Onde mora a lição de nossas adversidades?? Que em todas elas se enceram uma grande força de mudança e você é quem decide o que vai fazer com a energia que lhe enviam. Eu decidi que qualquer energia enviada a mim se tornaria Boa Sorte, cada vez eu ganharia um presente, uma surpresa agradável, e por ai vai. Alem disso, pedi muito a espiritualidade para eu não baixasse a vibração e busquei no fundo da minha alma as lembranças, os momentos mais felizes e os instantes mais mágicos que eu pudesse lembrar. Relia meu diário que eu chamava de “Bastidores do Reino” e me reavaliava, em cada reavaliação, me sentia plena porque dei o melhor de mim, estudei, me formei, busquei cada matéria com curiosidade de uma criança e aprendi muito. No entanto sei que tenho muito a aprender e a me melhorar.
Meu amigo do mar prometeu não me abandonar e a estar comigo sempre. Ele cumpriu a palavra. Quando achava que ia inflar de ódio, ele me dava à calma e palavras que me mostravam o valor da lealdade e que eu deviria continuar com a minha postura e conduta e que no final, tudo ia dar certo. E deu. Além disso, outros amigos começaram a aparecer, eu fiquei muito feliz em ter o reconhecimento e a força deles. Senhor dos Ventos, do Mar, Senhoras do Cais, Mensageiros. A magia e a vida me provaram que vale a pena tudo o que se faz com a alma.
Usei o mal para o bem. Minha maior defesa era o que eu tinha de mais puro dentro de mim, era o Amor que tinha pela espiritualidade, pelos anjos, pelos números e por aqueles que me ensinaram e me iniciaram. Isso era importante. Meus pais, irmão, parceiros, marido, tudo foi fundamental para a base ser feita com centralização. Fiz ainda a Terapia Hoffman que após a minha saída, vi a vida e as pessoas que me cercam de outra forma, parece que a ilusão acabou, identifiquei alguns vermes que cercavam e que eu achava que eram amigos, e me afastei. Somente a um me reaproximei a pedido de uma pessoa que pra mim é muito querida. Do restante me afastei e fui mal interpretada no afastamento. Mas a minha alma estava em Paz e era isso que importava.
Conseguimos superar a dificuldade quando conseguimos rir dela.
No fim, a gente sempre cresce. Continuo amando profundamente os estudos, os números, os Anjos e acreditando no que eles me dizem. Amo quem me ensinou e me iniciou no caminho e sempre me lembro das coisas e momentos felizes, do prazer que sentia ao descobri algo, da minha alegria perto da magia. Isso me impulsiona quando algo negativo se aproxima.
Hoje mergulho ainda mais nos meus estudos e tenho a certeza de que a vida sempre dá a reposta certa.
O bem e o mal são faces da mesma moeda. Como você vai trilhar o caminho, é uma resposta que só pode estar na alma.
publicado por Cris Gimenez às 18:59
link do post | comentar | favorito
|

.Cris Gimenez

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Reflexão sobre o Bem e o ...

. Preconceito/Homofobia

. Oraçao para fortalecer o ...

. Oração aos Arcanjos

. ...

. ...

. Salve os Guardiões da Luz...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.tags

. todas as tags

.Recomendo

blogs SAPO

.subscrever feeds